Legitimidade da Especialidade de Fisioterapia Quiropráxica

legitimidade1O Fisioterapeuta Quiropraxista tem o reconhecimento do ministério do trabalho através do CBO 2236-45 – Fisioterapeuta Quiropraxista. Os cursos de especialização Latu Sensu em Quiropraxia apresentam o devido reconhecimento do MEC, Ministério de Educação e Cultura. Além disso a Fisioterapia é uma profissão regulamentada devidamente e possui mais de 100 mil profissionais neste país. O Conselho Federal de Fisioterapia, já regulamentou a especialidade de Fisioterapia Quiropráxica por meio de duas resoluções, sendo uma em 2001 e outra em 2011. Os Fisioterapeutas ainda necessitam comprovar dois anos de experiência e ainda realizar concurso organizado pelo COFFITO com prova objetiva , discursiva e prova de titulação (quando comprova seus certificados de estudo na quiropraxia).

NOSSA FORMAÇÃO.

Competências Curriculares Mínimas do Fisioterapeuta Quiropraxista

1. Realizar testes semiotécnicos ortopédicos direcionados a Fisioterapia Quiropráxica.
2. Uso da mesa “Drop Table” e “Knee Chest”.
3. Realização da espinografia cervical, torácica e lombosacral.
4. Solicitação e análise de exames complementares imagenológicos, eletromiofisiológicos e de análises clínicas (hematoimunológicos).
5. Conhecimento de técnicas diversificadas.
6. Conhecimento de técnicas tradicionais de Quiropraxia, Gonstead, Thompson e Logan.
7. Conhecimentos de técnicas de Quiropraxia aplicada a Gestante, ao Idoso e a Pediatria.
8. Conhecimentos de técnicas de Quiropraxia Desportiva.
9. Conhecimento básico de técnicas ajustivas instrumentais.
10. Conhecimento de técnicas complementares.
11. Emissão de laudos e pareceres.
Saiba mais sobre a formação do especialista.

O Fisioterapeuta Quiropraxista

Considerando o disposto sobre os últimos movimentos em prol da regulamentação da profissão do titulado Bacharel em Quiropraxia vimos manifestar repúdio através dos argumentos constantes no presente texto. Definitivamente não devemos permitir que através de um projeto de lei seja estabelecida a limitação do desenvolvimento de uma ciência e uma profissão que já contempla os elementos básicos e prerrogativas técnicas necessárias em uma especialidade com segurança a população sem que hajam registros de morbidades relacionadas a esta prática clínica.

De acordo com o Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Coffito), a Fisioterapia é uma ciência da Saúde que estuda, previne e trata os distúrbios cinético funcionais intercorrentes em órgãos e sistemas do corpo humano, gerados por alterações genéticas, por traumas e por doenças adquiridas. Fundamenta suas ações em mecanismos terapêuticos próprios, sistematizados pelos estudos da Biologia, das ciências morfológicas, das ciências fisiológicas, das patologias, da bioquímica, da biofísica, da biomecânica, da cinesia, da sinergia funcional, e da cinesiopatologia de órgãos e sistemas do corpo humano e as disciplinas comportamentais e sociais.

O Fisioterapeuta é o profissional de Saúde, devidamente registrado em seu Conselho Regional, com formação acadêmica superior, habilitado à construção do diagnóstico dos distúrbios cinético funcionais (Diagnóstico Cinesiológico Funcional), à prescrição das condutas fisioterapêuticas, a sua ordenação e indução no paciente, bem como, o acompanhamento da evolução do quadro clínico funcional e as condições para alta do serviço.

Pode-se dizer que o prefixo “fisio” significa físico e o sufixo “terapia” por si só se explica como forma de tratamento. Assim podemos entender que a Fisioterapia abrange toda e qualquer “terapia física” desde o uso de luz, eletricidade, calor, frio, pressões positivas, pressões negativas, trações, ações mecânicas de aparelhos e dispositivos de correção, sustentação, imobilização, alinhamento, implementação de movimento e enfim todo e qualquer tipo de mobilidade corporal e articular. A Fisioterapia usa a física como instrumento e através dela se especializa em distintas áreas e por isso existem especializações regulamentadas. A terapia manipulativa é um recurso amplo e de espectro variável, podendo sim se caracterizar como procedimento manipulativo de alta velocidade e baixa amplitude de acordo com o tipo de formação e a experiência profissional. É considerado conceitualmente como característica fundamental da terapia física ou Fisioterapia. Está em pleno alcance e capacidade do Fisioterapeuta devidamente especializado a realização segura do procedimento que se utiliza de força controlada, alavanca, direção específica, baixa amplitude e alta velocidade que é aplicado em segmentos articulares específicos e nos tecidos adjacentes com objetivo de causar influência nas funções articulares e neurofisiológicas.

O Ajuste Articular como Técnica Fisioterapeutica

Assim sendo, o ajuste articular não pode ser definido como um procedimento terapêutico quiropráxico somente, mas também Fisioterapêutico Manipulativo e/ou Fisioterapêutico Quiropráxico. O exercício da Fisioterapia também enfatiza o tratamento conservador do sistema neuro-músculo-esquelético, sem o uso de medicamentos e procedimentos cirúrgicos. Também são empregados pelos Fisioterapeutas ajustes específicos com o propósito de restaurar a função articular por meio de técnicas desenvolvidas e sistematizadas para tal finalidade.Os ajustes biomecânicos articulares específicos na prática da Quiropraxia nem sempre diferem de outros procedimentos de manipulação corporal utilizados pelos Fisioterapeutas Manipulativos e hoje em dia é idêntico aos empregados pelos Fisioterapeutas Quiropráxicos que também dominam técnicas específicas.

É deveras importante salientar que também existem muitas técnicas quiropráxicas empregadas por profissionais graduados em Quiropraxia, que não apresentam aludida especificidade corretiva, sobre o complexo subluxação e estão muitas vezes tecnicamente defasadas em comparação a algumas técnicas manipulativas da Fisioterapia que estão mais avançadas, como por exemplo o tratamento de extremidades.

Por isso devemos impreterivelmente considerar que o Complexo de Subluxação e seu modelo teórico descritivo de uma disfunção motora segmentar, o qual incorpora a interação de alterações patológicas em tecidos nervosos, musculares, ligamentares, vasculares e conectivos; também é objeto de tratamento fisioterapêutico seja ele quiropráxico ou não.

“Os cursos de especialização Latu Sensu em Quiropraxia apresentam o devido reconhecimento do MEC, Ministério de Educação e Cultura.”

A Terapia Manipulativa Articular é uma modalidade técnica na área da saúde que transcende os milênios registrados nos históricos dos países do Oriente entre outros, e que é praticada por diversos segmentos profissionais da saúde como Quiropraxistas, Médicos Traumatologistas, Ortopedistas, e no Brasil, principalmente por Fisioterapeutas. Por este motivo a Fisioterapia pelo seu conceito e abrangência não pode ser de forma nenhuma cerceada por nenhum projeto de lei que não considere o direito deste profissional de denominar-se como especialista e prestador de serviço nesta técnica que hoje já pertence a seu arsenal terapêutico.

A Especialidade

A especialidade da Fisioterapia Quiroprática foi regulamentada pela resolução n° 220 de 23 de maio de 2001, de acordo com o Diário Oficial da União n° 108 de 05 de junho de 2001. O fisioterapêuta desde os primórdios do desenvolvimento da profissão atua em sua prática clínica exercendo o diagnóstico cinesiológico-funcional, atuando dentre as mais diversas áreas da fisioterapia, nos sistemas articulares do corpo. Este diagnóstico sempre utilizou como base tecnológica os conhecimentos da Biomecânica Clínica e Cinesiopatologia, para promover o re-equilíbrio dos sistemas musculoesqueléticos, bem como articulares e das cadeias biomecânicas.

O Fisioterapeuta Especialista em Quiropraxia deve seguir obrigatoriamente as exigências do COFFITO, apresentando extensa carga horária de formação em nível de Especialização e comprovar anos de experiência para ter sua especialidade devidamente reconhecida. Este profissional conforme a regulamentação é plenamente capaz de realizar:

Solicitação de exames complementares e Imagenológicos; aplicação de testes quiropráxicos; prescrever e executar o tratamento fisioterapêutico quiroprático bem como estabelecer e definir a frequência e tempo de intervenção, prescrever e aplicar ajustamentos articulares, recursos manipulativos, recursos proprioceptivos, adaptações funcionais, reeducação postural; determinar as condições de alta fisioterapêutica; emitir laudos, pareceres, relatórios e atestados fisioterapêuticos.

Conhecimentos: Além dos conhecimentos gerais de Fisioterapia, Fisioterapia Traumatológica e Ortopédica, o especialista conta ainda com os conhecimentos específicos para o exercício da Fisioterapia Quiroprática, como do sistema musculoesquelético; Biomecânica; Fisiopatologia das doenças musculoesqueléticas; Semiologia Quiroprática; Farmacologia aplicada; Técnicas de Trust de baixa amplitude e alta velocidade para todas as articulações corporais; Técnicas de energia muscular em suas diversas variações para todos os músculos do corpo; Técnicas de Jones; Técnicas funcionais manipulativas entre outras.

Os profissionais Fisioterapêutas especializados nesta área ainda tomam vantagem pela vasta experiência e pelo arsenal terapêutico que só o Fisioterapêuta detém como o conhecimento de cadeias musculares, reeducação postural global e outras correntes, não podendo descartar o potencial eletroterápico, ultrasom-terapia e laser anti-inflamatório que complementam seu atendimento, tornando sua intervenção muito mais eficaz pois tem um alcance mais abrangente sobre as patologias musculoesqueléticas em distintas fases do tratamento desde a inflamação aguda, cicatrização, fortalecimento e correção global do sistema musculoesquelético.

Descrição Sumária da CBO do Fisioterapeuta Quiropraxista

Aplicam técnicas fisioterapêuticas para prevenção, readaptação e recuperação de pacientes e clientes. Atendem e avaliam as condições funcionais de pacientes e clientes utilizando protocolos e procedimentos específicos da fisioterapia e suas especialidades. Atuam na área de educação em saúde através de palestras, distribuição de materiais educativos e orientações para melhor qualidade de vida. Desenvolvem e implementam programas de prevenção em saúde geral e do trabalho. Gerenciam serviços de saúde orientando e supervisionando recursos humanos. Exercem atividades técnico-científicas através da realização de pesquisas, trabalhos específicos, organização e participação em eventos científicos. Fonte: CBO-MTE (10/2010) Site CBO: www.mtecbo.gov.br

Identidade do Especialista em Quiropraxia conforme a ANAFIQ

A Anafiq e seus associados, preconizam que a identidade do Fisioterapêuta como executor da técnica Quiropráxica. A especialidade de Quiropraxia dentro da Fisioterapia, deve ser protegida, resguardada e perpetuada, como um direito adquirido pela profissão e pelos profissionais praticantes dos procedimentos que compões o conjunto de técnicas quiropráxicas, seja ela por completo ou apenas um segmento de uma escola quiropráxica , linha de pesquisa, atuação ou prática clínica.

Falsos Argumentos

O argumento do projeto de lei do Sr. Ronaldo Zulke ao arfirmar que a Confederação Mundial de Fisioterapia – WCPT defendem que “A Fisioterapia, a Quiropraxia e a Osteopatia são três profissões distintas, não satisfaz a necessidade de cerceamento profissional que está sendo praticada a Fsioterapia e estará se consolidando com a aprovação deste projeto de lei. Não se pode aceitar o conceito que está sendo insidiosa e forçadamente construído pra a Fisioterapia como uma ciência que só trata a nível de prevenção terciária ou seja na presença de sequela. Esta visão é ultrapassada, pois a Fisioterapia hoje mundialmente é reconhecida como uma profissão versátil e abrangente sendo considerada uma alternativa de linha de frente para o tratamento das disfunções musculoesqueléticas. A Fisioterapia pode muito bem ser altamente resolutiva, dependendo da técnica empregada e da condição do paciente. Não se pode aceitar uma condição de inferioridade e subalternidade que é proposta pelo projeto de lei do Sr. Zulque que limita o Fisioterapeuta pois desqualifica-o a realizar procedimentos ajustivos ou tratar o complexo subluxação. Além disso a “justificação” do Sr. Zulke se torna mais ainda inválida, talvez por desconhecer a matéria técnica, histórica e política, visto que em 25 estados dos EUA os Quiropraxistas graduados, com cursos complementares de baixa carga horária, alcançam o direito de exercerem e utilizarem a denominação de Fisioterapia e Fisioterapeuta. Realmente o texto bonito apresentado no projeto de lei é realmente fraco na sua substância material pois omite falhas e injustiças que ocorreram no processo da regulamentação da Quiropraxia e da Fisioterapia nos EUA, os quais se pretendem repetir aqui nesta nação.

O SBFQM e a Carta de Legitimidade da Especialidade de Fisioterapia Quiropráxica:

Na oportunidade do 1° SBFQM, Seminario Brasileiro de Fisioterapia Quiropráxica e Manipulativa, ocorrido nos dias 26 e 27 de Julho de 2014, na cidade de Novo Hamburgo, sede nacional da ANAFIQ, RS foi elaborada a carta de legitimidade da Fisioterapia Quiropráxica. Simultaneamente ocorreu o 1°Consenso Nacional de Educação em Fisioterapia Quiropráxica, em consenso com os associados, principais professores de cursos de Quiropraxia para fisioterapeutas, foram definidas as políticas fundamentais para os programas de ensino em Quiropraxia, bem como a formação de especialistas. Carta de Legitmidade

Agora em 2015 é a vez de São Paulo fazer história com o CONGRESSO INTERNACIONAL E II SBFQM EM SÃO PAULO

CONGRESSO INTERNACIONAL E II SBFQM EM SÃO PAULO

Decisão judicial:

O Tribunal Regional Federal no dia 02 de dezembro de 2014 representado pelo desembargador Dr. Luiz Alberto D ‘Azevedo Aurvalle reconhece Acupuntura, Quiropraxia e Osteopatia como especialidades da Fisioterapia . A presente e atual decisão judicial define como Legal a especialidade de Quiropraxia para Fisioterapêutas, contrapondo e anulando o disposto na decisão anterior tomada no dia 09 de outubro de 2014, onde ação movida pela ABQ Associação Brasileira de Quiropraxia tinha restado a DECISÃO JUDICIAL que determinava a ILEGALIDADE da Resolução 220 de maio de 2001 onde o COFFITO define a quiropraxia como especialidade do fisioterapeuta. Assim sendo os Fisioterapêutas e a ANAFIQ, como entidade representativa profissional comemoram a presente vitória que representa a defesa dos ideais da Fisioterapia e dos direitos dos especialistas em Quiropraxia.

O que queremos

Solicitamos assim o arquivamento do projeto de leiPL 1436/2011 ou que seja considerada a manutenção dos direitos dos Fisioterapeutas de que seja exercida a especialidade de Quiropraxia em conjunto com esta regulamentação.

<iframe width=”420″ height=”315″ src=”https://www.youtube.com/embed/22kcX0TzxFs” frameborder=”0″ allowfullscreen></iframe>