Próteses

Definição: substituição de um órgão ou parte dele por uma peça artificial;
 
 
   
Próteses Syme ou Pirogoff: confeccionada em polylite, com janela para fixação coto, facilitando a colocação da prótese. Permite apoio terminal. A marcha adquirida pelo paciente tem padrão próximo da normalidade.
Prótese para amputação dos metatarsianos: paciente com amputação nesse nível apresentam dificuldades para protetização. Este modelo é uma goteira suropodálica em polipropileno, com revestimento em espuma de alta densidade ao nível de antepé. Tem peso reduzido e permite que o paciente utilize calçados comuns.
Prótese para amputação da perna com apoio P.T.B.: com apoio no tendão patelar ("Patelar Tendon Bearing"). Suspensão com correia supra-condileana ou coxal, sendo esta última indicada para cotos curtos ou com fraqueza do quadíceps. Laminada em polylite e com pé SACH. Disponível no modelo endoesquelético.
Prótese para amputação da perna com apoio K.B.M.: utilizada para pacientes adultos. Com apoio e suspensão nos condilos femurais ("Kondilen Bettung Münster"). Disponível nos modelos convencional e endoesqueleto.
Pés de resposta dinâmica em fibra de carbono: desenvolvidos visando diminuir os choques verticais pela presença de tubos telescópicos e de uma lâmina lateral em fibra de carbono. Indicados para qualquer grau de atividade física, já que as lâminas laterais podem ser ajustadas de acordo com as diferentes atividades. Confeccionada em fibra de carbono, material de grande resistência e flexibilidade. Outra característica do material é a liberação da energia armazenada, chamada memória elástica, que oferece elevado índice de armazenamento. Indicado para pacientes com atividades intensas ou moderadas. A fibra de carbono resiste à água, umidade, calor, frio e corrosão.
Liner de silicone: o "Liner" de silicone poderá ser utilizado com o intuito de melhorar a suspensão da prótese, permitindo maior segurança aos pacientes. Utilizado com próteses tubulares de diferentes materiais. Também oferece maior conforto.
Prótese para joelho desarticulado: caracteriza-se pela possibilidade de discarga terminal com contato total, evitando a necessidade de apoio isquiático. Nestes tipos de próteses são utilizadas articulações de joelho específicas, de 4 eixos. Joelhos disponíveis: modular para desarticulação com impulsor incorporado, com trava ou com unidade hidráulica. Pés disponíveis: dinâmicos ou articulados.
Prótese convencional acima do joelho: confeccionada em resina ou polylite. O soquete poderá ser quadrilateral com apoio isquiático ou de inclusão isquiática (CAT - CAM). As articulações convencionais do joelho são fabricadas em madeira com articulação mecânica. Poderão ser utilizados: joelho JUPA com freio e impulsor, joelho monoeixo com trava (para os pacientes que necessitem de grande segurança), joelho com trava opcional e joelho para protetização geriátrica (monocêntrico em plástico com trava). Válvula de sucção ou cinto silesiano. Neste tipo de prótese poderemos utilizar pés SACH, pés dinâmicos ou articulados. Indicada para pacientes com amputações transfemurais.
Prótese endoesquelética acima do joelho: próteses modulares (endoesqueléticas) com a conexão da articulação do joelho com o pé realizada por tubos e adaptadores. Esses tubos poderão ser em aço, titânio ou fibra de carbono. A escolha dos componentes dependerá das condições do coto, estado físico, idade do paciente, peso, altura e grau de atividade física. O soquete poderá ser quadrilateral com apoio isquiático ou de inclusão do ísquio. A suspensão será feita por válvula de sucção, podendo ser associada ao cinto silesiano. Joelhos disponíveis: modulares com unidade hidráulica ou impulsor incorporado ou mesmo com unidade pneumática. Utilizado com pé dinâmico.  

Prótese canadense: indicada em emelias, desarticulações do quadril e hemipelvectomias. Hemicesto em polylite. Vários tipos de joelhos disponíveis: JUPA (trava automática); Habberman (sem trava), livre; com trava automática e rígido.
Prótese modular infantil: poderá ser utilizada em crianças entre 2 e 12 anos, com altura máxima de 1,45cm e peso máximo de 45kg. Confeccionada em liga de metal bastante leve. Joelhos disponíveis: monoeixo com impulsor incorporado ou com trava. Pé disponível: SACH.
Prótese não convencional: fabricada son medida. Tem dua indicação para as graves e complexas malformações congênitas dos membros inferiores associadas a grandes encurtamentos.
Prótese para amputação do antebraço com acionamento mioelétrico: a mão é acionada pelos potenciais gerados por correntes musculares existentes no coto, que são captados e amplificados por eletrodos. Além da abertura e fechamento da mão, também poderá realizar a prono-supinação. Indicado para pacientes com amputação do 1/3 proximal e médio do antebraço.
Mãos e ganchos: as mãos são revestidas por luvas cosméticas da mesma coloração e relevo venoso da mão contralateral. Os ganchos são destacáveis e utilizados principalmente para a realização das atividades diárias.
Antebraço mecânico com gancho: confeccionada em polylite sendo a suspensão realizada através de cabos e correias com dispositivo terminal (gancho). Neste tipo de prótese, a movimentação se dá por propulsão muscular. Através do cabo de aço preso à correia ancorada no ombro oposto se consegue a movimentação (abertura e fechamento do gancho). A indicação é semelhante à da prótese mioelétrica.
Braço com cotovelo mecânico: confeccionada em polylite com suspensão por cabos, correias e tiras de velcro. Neste tipo de prótese temos a opção de um cotovelo com trava externa (fixação manual) ou com trava interna (fixação através de um pequeno cabo, que comandado pelo ombro do mesmo lado, aciona a trava) ou o gancho. Indicada para amputações transumerais.
Prótese híbrida: este tipo de prótese tem como característica a utilização de um sistema híbrido, onde a mão é mioelétrica e o cotovelo mecânico. A suspensão se faz por cabos e correias, sendo que a flexo-extensão do cotovelo é feita pelo cabo, e a abertura e ofechamento da mão correm pela ação dos eletrodos. Como vantagem este sistema apresenta maior facilidade no manuseio da prótese, requerendo também menor gasto energético.
Prótese para desarticulação do ombro / prótese para desartiuculação do cotovelo: movidas a propulsão muscular. Três tipos de cotovelos disponíveis: com trava externa, com trava interna ou articulação externa com trava opcional. Podem ser utilizadas com 3 tipos de mãos: mecânica, passiva (cosmética) e ganchos. Materiais: resina, cabos, tiras e velcro.
Prótese estética para desarticulação do ombro: de finalidade estética, tem como característica a sua leveza. Estrutura tubular com acabamento em espuma e luva cosmética.

 

Outras seções: